Compartilhe
essa notícia
Cidades / 12/11/2018 16:22 - Atualizada em 19/11/2018 15:58
Com tráfego liberado, Rodovia Tamoios terá ponto de vacinação contra febre amarela
Via que dá acesso ao litoral norte de São Paulo teve trechos interditados


No último domingo, 11, o tráfego foi liberado na Rodovia dos Tamoios (SP-99), após mais de 90h de interdição. Na quarta-feira, 7, por causa das fortes chuvas, foram registrados pelo menos 23 casos de deslizamentos de terra e quedas de árvores na via, que dá acesso ao litoral norte de São Paulo.



Com o tráfego liberado, a rodovia terá um posto de vacinação contra febre amarela na quarta-feira, 14, e no domingo, 15, com o objetivo de alcançar moradores da região e viajantes ainda não imunizados.



A iniciativa é da Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado de Lógica e Transportes, da Concessionária Tamoios e dos municípios da região do Vale do Paraíba.



A iniciativa é da Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado de Lógica e Transportes, da Concessionária Tamoios e dos municípios da região do Vale do Paraíba.



No trajeto, materiais informativos e painéis luminosos da rodovia indicarão o serviço, com a frase: “Área de risco de febre amarela. Vacine-se no SAU KM 19). Os veículos poderão estacionar no espaço do SAU.



“A vacina deve ser tomada com dez dias de antecedência para garantir proteção efetiva. Portanto, aos que tomarem nessa ação de pré-feriado, recomendamos que evitem adentrar áreas verdes e usem repelentes e roupas compridas e de cor clara para reforçar a prevenção”, explica a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), Regiane de Paula.



Devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados. Não há indicação de imunização para grávidas, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide). Em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.



A orientação também vale para os moradores da região. Os municípios vêm intensificando as ações de imunização no decorrer do ano, para aumentar a cobertura vacinal. No Litoral Norte, a cobertura vacinal é superior a 85%. Ainda assim, moradores de outras localidades do Estado precisam estar vacinados antes de se deslocarem para essas áreas. Todo o território paulista já tem recomendação da vacina, devido a circulação do vírus, e as doses são disponibilizadas nos postos de vacinação.



 “A imunização é a principal forma de prevenção contra a doença. O período atual é pré-sazonal, e a sazonalidade da doença vai de dezembro a maio. Por isso, é importante que as pessoas ainda não vacinadas procurem os serviços de saúde”, complementa a diretora do CVE.



Devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados. Não há indicação de imunização para grávidas, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide). Em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.


Fotos da notícia
Rodovia dá acesso ao litoral norte de São Paulo
Divulgação

Comentar notícia

Nome
Email
Mensagem
Li e concordo com os termos de uso
Nome remetente
Email remetente
Nome destinatário
Email destinatário