Compartilhe
essa notícia
Vinhedo / 26/04/2013 13:32 - Atualizada em 26/04/2013 17:36
Prefeitura cancela reunião com servidores
Assembleia entre os trabalhadores deve ocorrer ainda hoje


A Prefeitura enviou um comunicado ao Sindicato dos Servidores cancelando a reunião agendada previamente para esta sexta-feira, 26. De acordo com o comunicado, a administração alega problemas de agenda e também a impossibilidade de fechamento contábil do último mês. Segundo a Prefeitura, isso impede a visão da realidade financeira atual. Um novo encontro foi marcado para segunda-feira, 29, às 15h.



Mesmo com o cancelamento, o Sindicato dos Servidores manteve a assembleia que será realizada nesta sexta-feira, 26, às 17h, na sede do Sindicato dos Químicos Unificados.



Em nota enviada por e-mail o sindicato diz que: “mais uma vez a administração da Prefeitura fecha as portas para o diálogo com os servidores. Lembrando que as pautas foram protocoladas no dia 1º de março, justamente para facilitar os andamentos da negociação. A dificuldade de estudo assim como de agenda são reflexos da falta de prioridade da administração frente às reivindicações de valorização da categoria. Mostrando desrespeito aos trabalhadores que ajudam a construir a história de Vinhedo. Nesse momento, a busca pela valorização dos trabalhadores é a busca de melhor oferta de serviços à população de Vinhedo, já que atrás das inaugurações de serviços essenciais como a UPA ou o Complexo Escolar há trabalhadores sendo desvalorizados com baixos salários.”, comunicou a entidade.



Reivindicações



A pauta de reivindicações foi definida em assembleia realizada no dia 28 de fevereiro, no auditório dos Químicos Unificados, quando estiveram presentes cerca de 70 servidores municipais. Entre os pedidos da categoria estão reajuste de 15% no salário, aumento do tíquete alimentação de R$ 368 para R$ 450, além de vale-refeição diário no valor de R$ 15 para todos os servidores públicos vinhedenses. O piso salarial da categoria é de R$ 983.



Os servidores pedem também outros itens, como o não atrelamento do 14° salário a faltas de trabalho, já que este benefício substituiu o antigo prêmio por assiduidade e é pago àqueles que não faltam mais de 12 vezes, ainda que justificadas, por ano; bem como o retorno do prêmio de assiduidade de 5% sobre o salário mensalmente.



Nesta segunda-feira, 22, cerca de 100 servidores sairam em passeata pelas ruas do Centro. Eles passaram em frente a Prefeitura e terminaram o protesto dentro do plenário da Câmara, que no momento abrigava a sessão ordinária entre os vereadores.  


Comentar notícia

Nome
Email
Mensagem
Li e concordo com os termos de uso
Nome remetente
Email remetente
Nome destinatário
Email destinatário